sexta-feira, março 08, 2013

JOÃO ROCHA

Hoje é um dia muito triste para o Sporting, com o falecimento daquele que foi na minha opinião o melhor presidente de sempre do clube.


Foi durante a sua presidência que o clube se tornou eclético, com participação em inúmeras modalidades e vários títulos europeus.

Foi ele que lançou com várias dezenas de anos o antecessor da vuvuzela, as célebres "cornetas verdes".

Foi o responsável pela primeira digressão de uma equipa portuguesa pela China.


Durante os seus mandatos o clube conquistou 1.210 títulos nacionais, 52 taças de Portugal e oito taças europeias em várias modalidades, que nessa altura eram 22 e movimentavam 15.000 praticantes.


Descansa em Paz, grande Leão!



Etiquetas: , ,

sexta-feira, junho 22, 2012

E já estão nos quatro melhores!



E a pouco e pouco, a Selecção formada no Sporting já está nas 4 melhores no Europeu! De realçar a prestação de Ronaldo. Começou muito mal mas começa a justificar ser ele a escolha para melhor do mundo esta época!

Tal como fez no Sporting, Paulo Bento conseguiu espremer um conjunto com alguns excepcionais e bastantes razoáveis e quase sem suplentes, transformando esta mescla numa equipa que luta até ao fim, dá-nos calafrios mas acaba por vencer!

Etiquetas: ,

quarta-feira, novembro 23, 2011

IMPORTA RELEMBRAR....

Uma das últimas invasões de campo em Portugal foi num Benfica-Porto e o autor da agressão ao fiscal de linha ficou praticamente impune, tal como o clube...





TRIBUNA DA LUZ recusada para ver o dérbi Autor: ANTÓNIO MAGALHÃES

Os dirigentes do Sporting que forem assistir ao dérbi vão ficar junto dos adeptos na “zona de conforto” recentemente criada pelo Benfica no Estádio da Luz e reservada aos apoiantes dos clubes adversários.

Godinho Lopes também estará entre a comitiva dirigente que se instalará na “gaiola”, caso obtenha autorização médica para acompanhar a equipa à Luz.Recorde-se que o presidente leonino foi sujeito a uma intervenção cirúrgica que o impediu, aliás, de assistir ao jogo da Taça de Portugal, em Alvalade, no passado domingo, com o Sp. Braga.

sábado, abril 02, 2011

NENHUM TRIBUNAL CALA O ALUCINADO DO QUEIRÓZ?


Com a devida vénia ao Mais Futebol

Gomes Pereira, médico do Sporting, voltou a aludir do caso de Liedson depois de Carlos Queiroz ter feito novas referências aos exames exaustivos a que o avançado foi submetido pela ADoP (Autoridade Antidopagem de Portugal) no último trimestre da época 2009/10, garantindo que «não há caso Liedson» e que os exames, apesar de terem deixado o atleta apreensivo, são «normais» e «legais».

«Numa matéria tão melindrosa como a da dopagem, só me vou referir a este caso pelo impacto que adquiriu. As declarações de Carlos Queiroz deixaram no ar que algo de pouco normal se teria passado com Liedson, evocando o meu nome, o do jogador e do Sporting», começou por explicar o responsável pelo departamento clínico dos leões.

«A ADoP é uma instituição do Estado que se rege por uma legislação muito rígida. Vou apenas comentar o que já veio a publico. O Liedson nunca esteve identificado como dopado. O que aconteceu é que, a exemplo de muitos outros jogadores, os atletas são por vezes referenciadas pela ADoP para realização de estudos complementares. Obviamente que estes estudos são feitos de forma sigilosa, para que não paire sequer a dúvida. Neste caso, à posteriori, foi quebrado o sigilo», acrescentou.

Exames que revelaram que «o comportamento de Liedson era fisiológico e nada tinha de anormal», apesar de ter provocado um certo desconforto no jogador. «Este facto é comum a muitos outros atletas. Reconheço que é desconfortável, mas é legal. Não podemos esquecer que os médicos do desporto e a ADoP estão do mesmo lado. Ambos pugnamos pela verdade. Um atleta sem estar dopado foi alvo de um exaustivo estudo, com enorme zelo, por parte da ADoP que manteve, durante um período significativo de tempo, o atleta num estado de preocupação», contou.

Exames que para Gomes Pereira são perfeitamente normais. «Se perguntarem a qualquer médico que acompanhe atletas, dizem todos o mesmo. É legal e a ADoP está a seguir as normas, mas é sempre preocupante para o atleta», destacou ainda.

Etiquetas:

segunda-feira, março 28, 2011

Lino de Castro: "Esclarecimento para que acabem as dúvidas"

O presidente da Mesa da Assembleia Geral cessante, acompanhado por António Terra da Mota, vice-presidente do respectivo órgão e por Sérgio Matias e Nélson Fernandes, operacionais do acto eleitoral do último sábado, estiveram no Auditório do Estádio José Alvalade para clarificar todo o processo da eleição de Godinho Lopes para presidente do Sporting.
“Depois de tomar conhecimento das informações que circulam publicamente, entendemos vir prestar todos os esclarecimentos sobre o acto eleitoral que decorreu no último sábado, no Sporting Clube de Portugal. O que está em causa é a honra e a dignidade de um conjunto de pessoas que trabalharam muito para além do seu horário de trabalho normal na preparação destas eleições e que foram inexcedíveis durante todo o acto.

O Sporting não tem um regulamento eleitoral e foi criado um processo com todas as normas a todos os delegados, sendo dados todos os esclarecimentos antes de ser aceite por todas as listas candidatas. Foi dado acesso a 60 delegados das 10 listas presentes a eleições, não fazendo distinção entre listas completas e incompletas durante o período de votação, restringindo-o, depois, a dois elementos de cada lista no período de escrutínio e a um de cada na fase da soma das parcelas de todos os votos. Neste período, foi imposto, por sugestão de um dos delegados, que as pessoas que estivessem a somar, o fizessem sem casaco, telemóvel ou sequer caneta, para que não existisse a mínima oportunidade de que, o que estava ali a acontecer, transparecesse para o exterior daquela sala. Em nenhum momento de todo este processo eleitoral, qualquer delegado comunicou a existência de alguma anomalia. Os votos eram contados, após separados, em molhos de 50 e recontados novamente e sempre que se fechava os números, antes de escrever e assinar a respectiva acta, perguntava aos delegados de todas as listas se estava tudo bem. As urnas foram lacradas de manhã, perante todos e as que ficaram cheias, foram seladas e guardadas num local onde também todos os delegados tinham acesso. Tudo correu em clima tranquilo e de entreajuda entre todos os delegados presentes. Nunca fizemos uma contagem intercalar ou tivemos preocupação estatística de saber quem ia à frente, embora, pela contagem individual das diferentes urnas, existisse uma noção de que havia um grande equilíbrio entre dois candidatos e só soubemos quem ganhou quando somámos todos os resultados. Começámos a somar as parcelas do Conselho Leonino, depois, do Conselho Fiscal e, de seguida, da Mesa da Assembleia Geral. Quanto ao Conselho Directivo, verificámos que Bruno de Carvalho tinha grande vantagem nas mesas de um e quatro votos, nas de sete votos foi mais equilibrado e o candidato esteve à frente até à contagem das mesas de 19 votos, com Godinho Lopes a ultrapassá-lo na mesa de 22 e a confirmar a vitória na de 25 votos, a última a ser somada no computador. Fiz questão, de acordo com todos os delegados, de reintroduzir todos os dados no computador – para salvaguardar qualquer erro – e o resultado foi exactamente o mesmo: 36,55% para a Lista A, 36,15% para a Lista C. Ninguém pediu a recontagem, e, junto com todos os delegados, saí da sala”.

Nélson Fernandes: "Os nossos patrões são os sócios"

Nélson Fernandes, funcionário do Sporting, e responsável pela equipa operacional que trabalhou nas eleições, salientou que “tenho, como sportinguista, um tremendo orgulho em ter trabalhado neste acto, junto de delegados de todas as listas e com quem tivemos um excelente entendimento ao longo do dia. Sempre que fechávamos uma urna, perguntava a todos se existia alguma questão a apontar, tal como aconteceu antes de entrar na sala para a contagem das parcelas. Fizemos o escrutínio dos votos à frente dos sócios e dos adeptos, tal como sempre aconteceu, pois temos orgulho em mostrar a todos os que queiram ver como fazemos as coisas. Como funcionários do Clube, fazemos tudo para que o sócio se sinta o mais confortável aqui, pois esta é a sua casa. E foi isso que tentámos também fazer no sábado, pois os nossos patrões são os sócios. São eles que mandam no Sporting.

Tivemos três postos durante as eleições: no primeiro, mostrava-se o cartão de sócio; depois, dava-se entrada dos sócios para o local de votações, com estes números a serem inadvertidamente tidos como oficiais pela comunicação social, pois existiram vários casos de números de sócios antigos ou de pagamento de quotas em atraso, onde eram encaminhados para a Secretaria, regressando depois a este local, já que não iríamos obrigar o sócio a voltar para o fim da fila. No terceiro passo de validação – a entrega do cartão de sócio e um bilhete de identificação, caso o cartão de associado não tivesse fotografia – o sócio recebia os boletins de voto, após conferir o seu nome nos cadernos eleitorais e recebia de novo os documentos após ter colocado as suas decisões na respectiva urna. E são estes os números de votos e sócios votantes que contam e não as estimativas dadas pelo computador aquando da entrada dos associados na sala”.

Etiquetas: